Aumento das estadias prolongadas força hotéis a adequar estrutura

 

Na indústria hoteleira, o crescimento das estadias de longa duração (long stays/extended stays) tem sido um fator muito importante nas adaptações estruturais dos hotéis. Normalmente, a maioria destes hóspedes vem de grandes cidades e procuram alternativas com maior espaço externo e ligação com a natureza para se manterem distantes do dia a dia corrido que levam regularmente.

Algumas pessoas passaram a optar por apenas um único destino por muito mais tempo ao invés de planejar inúmeras viagens como faziam antigamente.

Hotéis em diferentes países estão apostando neste mercado. Por exemplo, alguns destinos nos EUA e na Espanha, começaram a oferecer pacotes de estadia baseados em pelo menos um mês de hospedagem.. O momento foi tão significativo em alguns destinos que há hotéis fazendo mudanças estruturais para conseguir atender esses hóspedes.

Afinal, muitos hotéis acostumados a receber hóspedes que passam duas ou três noites, não possuem nem itens como guarda-roupas, mesas e cadeiras, adaptados ao home office. Logo, eles foram levados a adaptar o quarto para acomodar totalmente as chegadas de hóspedes de longa duração.

Além de taxas de ocupação satisfatórias, muitos hotéis que investem em estadias de longa duração também reduziram os custos operacionais, reduzindo os buffets de café da manhã e a frequência dos serviços de limpeza (como medida de segurança na pandemia do COVID-19).

Alguns hóspedes também reavaliaram suas prioridades, considerando a hospedagem com cozinha uma característica muito importante. Hoje em dia, os investidores da indústria hoteleira também consideram o alojamento com kitchenette como a melhor opção de investimento.

Deixe uma resposta:

O seu email não será publicado